28 de dezembro de 2016

Crítica: One-Punch Man

Gênero(s): Ação, Comédia, Paródia, Super Herói
Demografia: Seinen
Estúdio: Madhouse
Ano(s): 2015
No. de Episódios: 12

*** (Merece Ser Assistido)

Esse é, essencialmente, um anime de comédia. Apesar de ter uma premissa que contradiz essa ideia. A história em si não é de comédia, os personagens não têm um traço psicológico parecido com os que normalmente são usados na comédia japonesa, sempre cheia de exageros e tal. Mas alguns detalhes bem específicos que vão aparecendo no roteiro fazem com que seja um anime extremamente engraçado e agradável de acompanhar.

Tudo gira em torno do personagem principal, ele move a história. E faz isso com maestria, Saitama é um personagem fantástico. Ele é um jovem que passou de uma pessoa aparentemente normal para um dos homens mais poderosos do planeta, sem nenhuma razão visível. Ele mesmo não sabe explicar a fonte de tanto poder.

Então ele se torna um herói, também sem nenhuma razão específica, já que ele não é o tipo de personagem heroico característico de shonen, por exemplo. Acontece que ele é tão poderoso que vence todos os seus adversários com apenas um soco, o que o deixa chateado e bastante entediado. Ser poderoso além da compreensão em determinado momento perde a graça.
A história vai se desenvolvendo num ritmo interessante, acompanhando a evolução de Saitama como personagem. Sempre de um jeito bem humorado, com uma dose muito bem empregada de comédia em todos os episódios.

Em vários momentos têm acontecimentos meio que nonsenses, o que pode parecer de certa forma bobo dependendo do ponto de vista, mas ao meu ver são pitadas bem colocadas de humor, nada demais.

Esse anime não traz nenhuma grande inovação, nenhum grande insight, não vai ser marcante para a indústria como um todo ou começar uma nova geração. Mas, ainda assim, é um anime bastante único, com personagens e abordagens diferentes de clichês enraizados nos roteiros em geral. Vale a pena dar uma conferida e dar algumas risadas. E, certamente, vocês irão achar o Saitama demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário